Reforma da Previdência vai aumentar desigualdades, alerta Zarattini



Foto: Lula Marques

Com o voto contrário da bancada do PT, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (10) o texto principal da reforma da Previdência (PEC 06/2019), uma reforma cruel que penaliza os mais pobres, retira direitos dos trabalhadores e inviabiliza a aposentadoria para milhões de brasileiros.

Segundo o líder da Minoria no Congresso, deputado Carlos Zarattini (PT/SP), a reforma da Previdência é criminosa e vai massacrar os pobres e manter os privilégios dos ricos, grandes empresários e dos bancos, do capital financeiro. “Votei contra a reforma da Previdência de Bolsonaro. Essa proposta tem três eixos: excluir milhões de pessoas do sistema, reduzir os benefícios e obrigar os trabalhadores há passar mais anos trabalhando pra ter direito a aposentadoria. Ou seja, exclusão, redução e adiamento dos benefícios”.

Sessão que aprovou a reforma da previdência. Foto Lula Marques

Zarattini denunciou ainda que aprovação da matéria só foi possível após liberação pelo governo Bolsonaro de R$ 178 milhões em emendas. “O que vimos foi a compra descarada de votos. Bolsonaro prometeu R$ 40 milhões em emendas para quem votasse a favor da matéria. Uma vergonha esse toma lá da cá. Governo está gastando o seu dinheiro para aprovar uma reforma contra você”, denunciou.

O plenário ainda vai apreciar nesta quinta-feira (11) as emendas apresentadas pelos partidos para tentar modificar pontos cruéis da reforma, como por exemplo, o aumento da idade mínima e do tempo de contribuição para a aposentadoria dos professores. Ao todo foram apresentados 19 destaques ao texto.

Além do PT, também votaram contra o texto principal da reforma deputados do PSB, PDT, PSOL, Rede e PCdoB.

Fonte: Com informações do PT na Câmara