Para Zarattini, PT está no 2º turno presidencial com Lula ou Haddad



O deputado federal Carlos Zarattini (PT), candidato à reeleição, acredita que o PT estará no segundo turno da eleição presidencial, independentemente do nome que representará o partido na corrida eleitoral. Para o parlamentar, a vaga está garantida com ou sem a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na superintendência da PF (Polícia Federal), em Curitiba, desde abril, quando foi condenado em segunda instância pelo TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região.

Com os argumentos de que o pleito deste ano é muito curto e que os adversários do ex-presidente não teriam tempo para desconstruir sua imagem, o deputado petista disse que, num provável segundo turno contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), até mesmo o eleitor tucano poderia apoiar o eleitor petista. “A pessoa que vota pensando mais no progresso do País dificilmente votaria no Bolsonaro. Acredito que ele (tucano) votaria no PT, não porque gosta do Partido dos Trabalhadores, mas porque não gosta das ideias de Jair Bolsonaro”, pontuou o deputado, em visita ao Diário.

Segundo mais bem votado do PT na eleição de 2014, com 138.286 votos, atrás somente de Andrés Sanchez, presidente do Corinthians, Zarattini argumentou que o plano do petismo é esticar ao máximo a corda da candidatura de Lula para favorecer transferência de votos a Fernando Haddad (PT), hoje candidato a vice e provável presidenciável quando Lula tiver o registro de candidatura analisado sob a ótica da Lei da Ficha Limpa.

“O PT levará a campanha de Lula até o último momento. Já estamos pensando em como realizar o programa eleitoral com o ex-presidente. Porém, caso alguma coisa aconteça, tenho certeza que Haddad estará no segundo turno.”

Ainda no campo das análises, o deputado descartou o cenário em que Geraldo Alckmin (PSDB) enfrentaria Jair Bolsonaro no segundo turno. Já que um tiraria voto do outro, pois, para ele, Alckmin e Bolsonaro navegam num mesmo eleitorado. “Essa é uma probabilidade muito pequena. Na verdade, eu acredito que esta é uma possibilidade que não existirá.”

Já na corrida para o governo do Estado, o otimismo é mais brando. Para o deputado, o ex-prefeito de São Bernardo Luiz Marinho, candidato da sigla ao Palácio dos Bandeirantes, terá trabalho para reverter sua situação na disputa à cadeira do Palácio dos Bandeirantes. “Ele tem que ser rápido nesta disputa, atacar mais o João Doria (PSDB), se colocar como antiDoria.”