Vídeo: Confissão de Bolsonaro é o elemento que faltava para seu afastamento




reprodução – montagem Revista Fórum

Ao avaliar o fato novo, amplamente divulgado pelas agências de notícias, sobre a confirmação, nesta terça-feira (12), do uso político da Polícia Federal pelo presidente Jair Bolsonaro, o líder da Bancada do PT, deputado Enio Verri (PR), o líder da Minoria no Congresso Nacional, deputado Carlos Zarattini (PT-SP) e o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) afirmaram que a única saída que se apresenta para Bolsonaro, é o seu afastamento da Presidência da República.

Segundo a reportagem, em vídeo da reunião da ministerial exibido hoje, ao ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, à Procuradoria Geral da República e à Polícia Federal, Bolsonaro teria afirmado que a família dele era perseguida e que por isso, iria trocar o comando da Polícia Federal.

O deputado Enio Verri disse que o País assiste estarrecido a mais um episódio protagonizado pelo presidente da República. “O que a gravação sugere é que Bolsonaro queria uma Policia Federal só para ele, para defender os interesses pessoais e escusos da família dele. Sem dúvida nenhuma isso é crime e temos que tomar todas as providências para que ele responda legalmente por mais esse absurdo, além de todos os outros que ele faz diariamente”, criticou.

Para Zarattini, Bolsonaro não se preocupa com o Brasil e usa o governo “para defender sua família das punições contra os crimes que cometeram junto com as milícias”. O líder oposicionista disse que a cada dia se evidência o envolvimento do presidente com crimes de responsabilidade. “Não existe outra saída para o Brasil a não ser o afastamento de Bolsonaro e de todo seu governo. Precisamos de novas eleições!”, defendeu.

Acusação

Em seu depoimento à Polícia Federal, em Curitiba, o ex-ministro Sérgio Moro indicou o vídeo da reunião ministerial como prova das acusações que ele fez contra Bolsonaro durante o anuncio de sua demissão.

Moro afirmou que o presidente Bolsonaro tentou mudar o comando da PF no Rio de Janeiro em várias ocasiões. Na última tentativa do presidente, o então diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, foi demitido em 24 de abril por Bolsonaro. Fato que levou o ex-juiz a pedir demissão do cargo.

Trincheira de defesa da família

O deputado Paulo Pimenta lembrou que em vários momentos ele havia denunciado que Bolsonaro transformou o governo em “uma trincheira de defesa dos interesses criminosos de sua família e dos amigos”.

De acordo com o parlamentar gaúcho, ao fazer uma confissão pública de que a PF coloca em risco o interesse dos negócios da família, Bolsonaro oferece o último argumento que faltava para ser afastado da Presidência da República.

“Acho que o Supremo Tribunal Federal tem autoridade para pedir autorização para que Bolsonaro seja investigado por crime comum, crime de responsabilidade, e isso levará a um processo rápido de afastamento de Bolsonaro. Ele não reúne mais nenhuma condição de continuar governando o País”, afirmou Pimenta.

Redes Sociais

Com as hashtag #DivulgaTudoCelsodeMello,  #LiberaOVideoCelsoDeMello, parlamentares do PT  usaram suas  redes sociais para cobrar do ministro do STF, Celso de Mello a divulgação do conteúdo do vídeo da reunião ministerial. Veja abaixo o que disseram os deputados.

Henrique Fontana (PT-RS): “Se confirmado, esse vídeo comprova que Bolsonaro tentou interferir nas investigações da PF para beneficio próprio e cometeu mais um crime passível de impeachment, #DivulgaTudoCelsodeMello”.

Professora Rosa Neide (PT-MT): “A suposta interferência de Jair Bolsonaro na troca da PF do Rio precisa ser esclarecida minuciosamente, #LiberaOVideoCelsoDeMello”.

Alencar Santana Braga (PT-SP): “Desde os problemas com Sérgio Moro, cada dia fica mais evidente que Bolsonaro usa do cargo de presidente para proteger seus familiares e aliados políticos!”.

Margarida Salomão (PT-MG): “Confirmando-se os relatos, o vídeo exibido hoje na PF, não será devastador para Bolsonaro, mas para vários integrantes do governo. Que assim seja”.

Jorge Solla (PT-BA): “Bolsonaro foi flagrado em franca ação de obstrução de Justiça, trocando superintendentes da PF e até ministro da Justiça para proteger seus filhos de investigações de corrupção. A obstrução de Justiça continuada é flagrante, e exige uma ordem de prisão imediata do presidente”.

Luizianne Lins (PT-CE): “Temos direito de ver vídeo em que Bolsonaro, de forma criminosa, negocia o comando da PF para proteger sua família. Lembrando que é no Rio onde se concentram investigações sobre rachadinhas de Flávio Bolsonaro e o caso Marielle”.

Bohn Gass (PT-RS): “O povo brasileiro tem o direito de ver o vídeo de Bolsonaro confessando que queria trocar a PF do Rio para proteger sua família, #mostraOvideoSTF”.

Helder Salomão (PT-ES): “O Brasil tem o direito de saber o conteúdo do vídeo devastador para Bolsonaro, #DivulgaTudoCelsodeMello”.

Erika Kokay (PT-DF): “Vídeo da reunião que poderá confirmar que Bolsonaro vinculou preocupação com a família à troca na PF é de interesse público e mesmo que o resultado seja devastador para a familícia, deve ser divulgado na íntegra e sem edições, #LiberaOVideoCelsoDeMello”.

Benildes Rodrigues

Fonte: PT na Câmara