Brasileiros se mobilizam contra os cortes na educação pública, rumo à greve geral



Governo Bolsonaro bloqueou 30% dos recursos destinados às universidades federais

No último dia 30 de abril, o ministro da Educação Abraham Weintraub declarou que cortaria 30% do orçamento das universidades federais que provocassem “balbúrdia” em seus campi, citando nominalmente a Universidade de Brasília (UnB), a Universidade Federal da Bahia (UFBA) e a Universidade Federal Fluminense (UFF). No dia seguinte, o secretário de Educação Superior da pasta, Arnaldo Barbosa de Lima Junior, afirmou que o corte se estenderia “de forma isonômica para todas as universidades”.

Durante duas semanas, estudantes, professores e servidores de universidades de todo o Brasil se mobilizaram em reação a essa medida e sinalizaram uma paralisação nacional para esta quarta-feira (15). Trabalhadores de diversas categorias se somaram à organização da jornada de lutas, que promete ser a maior desde a eleição de Jair Bolsonaro (PSL).

Acompanhe no Brasil de Fato o dia de manifestações pelo país, que tem sido encarado como um “esquenta” para a greve geral de 15 de junho, contra o desmonte da Previdência e os retrocessos promovidos pelo presidente de extrema direita.

Greve Nacional Educação
Tweets Organizados por ‎@Brasil_de_Fato

Neste 15 de maio, diversas categorias da educação realizam manifestações pelo Brasil, após Bolsonaro bloquear 30% dos recursos das universidades federais.



AGENDA DE MOBILIZAÇÕES

RIO GRANDE DO SUL

Porto Alegre– FACED-UFRGS, 18h

Caxias do Sul– Praça Danti Alighieri, 17:30h

Viamão– Centro de Viamão, 16h

SANTA CATARINA

Florianópolis– Praça Central, 15h

Chapecó– Praça Coronel Bertaso, 9:30h

PARANÁ

Curitba– Praça Santos Andrade, 9h

SÃO PAULO

São Paulo– MASP, 14h;

Sorocaba– Pça Cel Fernando Prestes, 09h

São Carlos– Praça Coronel Salles, 9h

MINAS GERAIS

Diamantina– Largo Dom João, 15h

Belo Horizonte– Praça da Estação, 15h

RIO DE JANEIRO

Rio de Janeiro– Candelária, 15h

DISTRITO FEDERAL

Brasília– Museu da República, 10h;

GOIÁS

Goiânia– Praça Universitária, 14h

AMAPÁ

Macapá– Praça da Bandeira, 15h;

AMAZONAS

Manaus– Entrada da UFAM, 7h

Manaus– Centro de Manaus, 15h

MARANHÃO

São Luis– Vivência da UFMA, 11:30h

CEARÁ

Fortaleza– Praça da Bandeira, 08h

BAHIA

Salvador– Campo Grande, 9h


Fonte: Brasil de Fato