Zarattini repudia política de aumento de impostos de Temer


Thursday, August 10, 2017

O líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini (SP), repudiou hoje (8) a proposta do presidente ilegítimo Michel Temer de criar uma nova alíquota de imposto de renda para pessoa física, que pode variar de 30% a 35% para salários acima de R$ 20 mil. “O governo quer fazer a classe média pagar a conta, em vez de mudar o rumo da política econômica, que é equivocada e não dá nenhum horizonte para o povo brasileiro”, disse.


Zarattini lembrou que o atual governo já aumentou abusivamente o preço da gasolina, do óleo diesel e do gás de cozinha, prejudicando toda a população, em especial os pobres. Segundo o líder, a política econômica de Temer e do ministro da Fazenda Henrique Meirelles está levando o Brasil para o buraco, com erros que só agravam a crise e aprofundam a recessão.


“Disseram que iam resolver os problemas e adaptar a economia brasileira ao que chamaram de novos tempos, mas a situação só piora”, criticou o líder petista.


Entre as derrapadas do atual governo, Zarattini citou o corte de investimentos públicos, a paralisação da Petrobras, a redução do papel do BNDES como banco de fomento e estímulo ao desenvolvimento e uma série de outras medidas que só resultaram em paralisação da economia. Com isso, cai a arrecadação. “Agora vem o governo com a proposta de aumentar os impostos, para punir ainda mais os pobres e a classe média”, comentou.




O líder do PT também criticou o tucano Armínio Fraga, presidente do Banco Central no segundo mandato do governo FHC (1995-2002), quando o Brasil ia de pires na mão pedir socorro ao Fundo Monetário Internacional. Fraga disse, em entrevista, que política e eleições presidenciais atrapalham o ajuste fiscal.


Para Zarattini, Fraga mostrou desprezo à democracia, confirmando que o “dito mercado financeiro” não suporta povo e eleições. Na opinião de Zarattini, Fraga defende um ajuste fiscal “que só uma ditadura poderia implementar”.


Zarattini criticou Temer, Meirelles e Fraga por agirem movidos apenas pela lógica do mercado financeiro, defendendo reformas como a trabalhista. Essa reforma, na opinião do parlamentar, “em vez de aumentar a produtividade dos trabalhadores, como dizem representantes do sistema financeiro, vai apenas aumentar a exploração do povo brasileiro”. Pelo ataque aos direitos da população, o governo Temer é rejeitado por mais de 90% da população.


“Está passando da hora de o governo Temer encerrar suas atividades, o povo não aguenta mais”, disse o líder do PT. Ao contrário da posição antieleição de Armínio Fraga, o líder do PT defende que a única saída para o Brasil sair do atoleiro é a realização de eleições. “O povo quer se manifestar nas urnas e tem o direito de eleger um governo que não ataque seus direitos e tire o Brasil da crise”, completou Zarattini.


PT na Câmara


Comentários (0)

Comentários
Post has no comments.




Captcha Image